quinta-feira, 28 de abril de 2011

ESPELHO

O espelho é quase tudo provocante!
É quase tudo ambíguo!
E quase tudo ilusão!

O espelho é quase tudo surpresa!
É quase tudo mistério!
É quase tudo símbolo!

O espelho é quase tudo sombra!
É quase tudo visão!
É quase tudo emoção!

O espelho é quase tudo...
E ao mesmo tempo
é vento que não se vê.

É quase tudo i ma gi na ção.


“Quando O ESPELHO se tornar objeto de luxo,
Já não haverá mais lixo em nosso olhar”.


Silvio Ramos Tomas




Pai e filho

Algum dia nos assentaremos a mesa
e falaremos de Deus,

se não nos consumirem os fatos
e não prologarmos as férias...
seremos amigos.

Pai e filho, irmão e amigo
com segredos revelados
e amor demais escondido.

Não e árduo o papel,
Ser pai!
saber ver, ouvir,
e dormir em paz.

Um filho é sempre filho,
nunca outro nome terão;
ex ou erão – é meu mimo –
meu memo – meu barbichudo!

Se algum dia escrevermos cartas,
não  será por estarmos longe
são cartas anexadas no espelho,
ou penduradas na parede
que separam nossas diferenças.

Poderemos fazer tudo o que
 Já fizemos a outros,
poderemos pedir socorro
sem medo de não ser ouvido.

Juntos estaremos protegidos
de nós mesmos,
os sonhos serão para nós travesseiro
 e destas noites... nunca acordaremos.

E se algum dia se lembrar do que eu disse,
e sentir saudades do que vistes...
é por que terás guardado no coraçao
as coisas sagradas por nós vivida;
a bíblia, a família e nós seus pais amigos.

Silvio Ramos Tomas